top of page

Resultados da busca

38 itens encontrados para ""

  • Orquestra Sinfônica do ES recebe maestro convidado Roberto Tibiriçá

    As duas apresentações, nos dias 13 e 14 de setembro, também contam com solo do pianista Aleyson Scopel Nos próximos dias 13 e 14 de setembro, às 20h, a Orquestra Sinfônica do Espírito Santo (Oses) se apresenta, no palco do Sesc Glória, no Centro de Vitória, sob a regência do maestro convidado Roberto Tibiriçá. Dentre as obras apresentadas, destaca-se Peer Gynt, uma das mais conhecidas descrições sonoras do nascer do sol de todos os tempos, além da Sinfonia n.8, de Antonín Dvorák, que conta com solo do pianista convidado Aleyson Scopel. Os ingressos já estão à venda na bilheteria do Sesc Glória ou on-line, e custam R$ 20 (inteira), R$ 15 (conveniado), R$ 12 (cartão empresário) e R$ 10 (meia-entrada para comerciário ou mediante apresentação de 1kg de alimento não perecível). COMPRE SEU INGRESSO Sobre as obras As duas primeiras obras apresentadas são do compositor norueguês Edvard Grieg. Em Atmosfera matinal, a parte mais famosa é o “Morning Mood” uma composição do primeiro ato da suíte Peer Gynt. A obra apresenta uma bela melodia tocada por flautas e cordas, com acompanhamento suave de harpa e clarinete. A música capta perfeitamente a quietude e a beleza da paisagem norueguesa. Já seu Concerto para piano e orquestra op.16 é um dos mais famosos deste repertório, e foi escrito quando o compositor tinha apenas 24 anos. A influência da tradição musical popular de seu país se faz sentir, mais visivelmente, no uso dos ritmos e harmonias no terceiro movimento. Do compositor tcheco Antonín Dvorák, apresentaremos a Sinfonia n.8, estreada no ano de 1889, em Praga. Os momentos de vigor sonoro se alternam com o lirismo inspirado nas paisagens naturais de seu país natal - e aqui é impossível não nos lembrarmos da famosa Sinfonia Pastoral de Ludwig van Beethoven. Particularmente nesta obra, Dvorák se vale de muitos materiais de origem folclórica dos campos da Boêmia. Sobre os convidados O pianista Aleyson Scopel é presença de destaque no cenário musical brasileiro, tocando regularmente como solista à frente das principais orquestras do país, tais como a OSESP, Filarmônica de Minas Gerais, OSB, Sinfônica de Porto Alegre, Amazonas Filarmônica. Detentor dos prêmios Nelson Freire e Magda Tagliaferro, foi laureado em diversos concursos internacionais, tais como William Kapell e Villa-Lobos, entre outros. Formou-se com a mais alta distinção no New England Conservatory of Music, em Boston. Roberto Tibiriçá foi discípulo do maestro Eleazar de Carvalho, com quem teve a oportunidade de trabalhar durante 18 anos, depois de ter vencido o Concurso para Jovens Regentes da OSESP em duas edições seguidas. Ocupou o cargo de Regente Assistente no Teatro Nacional de S. Carlos, em Portugal e em 1994 tornou-se Diretor Artístico e Regente Titularda Orquestra Sinfônica Brasileira. Entre 2000 e 2004 foi Diretor Artístico e Regente Titular da Orquestra Petrobrás Sinfônica e, entre 2005 e 2011, Diretor Artístico da Sinfônica Heliópolis, do Instituto Baccarelli. Atualmente é Regente Titular e Diretor Musical da Orquestra Sinfônica do Paraná. Repertório: _Edvard Grieg: Peer Gynt, Suíte n.1: Atmosfera matinal _Edvard Grieg: Concerto para piano e orquestra op.16 Solista: Aleysson Scopel, piano _Antonín Dvorak: Sinfonia n.8, op 88 Regência: Roberto Tibiriçá Serviço: Série Pré-Estreia e Concertos Sinfônicos Data: 13 e 14 de setembro Hora: às 20h Local: Sesc Glória, Av. Jerônimo Monteiro, 428, Centro de Vitória Ingressos: R$ 20 (inteira), R$ 15 (conveniado), R$ 12 (Cartão empresário), R$ 10 (meia-entrada e comerciário), R$ 10 (meia-entrada solidária, com doação de 1kg de alimento). Informações à Imprensa: Assessoria de Comunicação da Secult Tiago Zanoli / Danilo Ferraz / Karen Mantovanelli / Juliana Nobre Telefone: (27) 3636-7111 Whatsapp: (27) 99753-7583 secultjornalismo@gmail.com / comunicacao@secult.es.gov.br Assessoria de Comunicação da Orquestra Sinfônica do Espírito Santo Erika Piskac (27) 99283-1081 / (27) 99273-1875 e-mail: comunicacao.coes@gmail.com Instagram: @orquestrasinfonicaes

  • Vem aí a segunda edição do "Concurso de Canto Natércia Lopes"

    2º Edição do Concurso, realizado pela Companhia de Ópera do Espírito, acontece entre os dias 7 a 10 de setembro, na Casa da Música Sônia Cabral Com patrocínio master da Shell e patrocínio ouro do Instituto Cultural Vale, a Companhia de Ópera do Espírito Santo realizará, entre os dias 07 a 10 de setembro, o 2º Concurso de Canto Natércia Lopes. O evento, que homenageia a diva da ópera capixaba que também dá nome ao concurso, acontecerá na Casa da Música Sônia Cabral, no Centro de Vitória, e é aberto para o público acompanhar todas as etapas do concurso. Nesta edição do concurso, participarão cantores brasileiros - residentes, ou não, no Brasil, que passaram pela fase eliminatória, em junho. O foco do evento é fomentar o canto lírico no Brasil, estimulando cantoras e cantores acima de 18 anos - e sem limite máximo de idade - a participar dentro de sua respectiva categoria. Ao todo, as premiações (todas em dinheiro) somam R$ 24 mil. O concurso integra a programação do 11º Festival de Música do Espírito Santo e conta com direção geral de Tarcísio Santório, direção artística de Lívia Sabag e coordenação de Gabriel Rhein-Schirato. Assim como em sua primeira edição, o 2º Concurso de Canto Natércia Lopes acontece em três fases: Eliminatória (remota), Semi-final e Final (presenciais), e deverá abarcar obras diversificadas do repertório. A Banca Julgadora será formada mais uma vez por importantes profissionais do meio operístico: Jena Vieira (Theatro da Paz), Flavia Furtado (Festival de Ópera do Amazonas), Pablo Maritano (Theatro Colón), Helder Trefzger (Oses), e Gabriel Rhein-Schirato (Festival de Música Erudita do Espírito Santo). A premiação será dividida em três categorias, por faixa etária. Cada categoria entregará três prêmios: Primeiro, Segundo e Terceiro lugares, e cada um destes premiados receberá um valor em dinheiro. Aqueles classificados em primeiro lugar de cada categoria, ainda se apresentarão, no “Concerto de Encerramento do Festival de Música Erudita do Espírito Santo”, que será realizado no Teatro SESC Glória, na cidade de Vitória - ES, no dia 25 de novembro, com participação da OSES - Orquestra Sinfônica do Espírito Santo, e com todas as despesas pagas. “O 11° Festival de Música Erudita do Espírito Santo tem o propósito de promover a música erudita como possibilidade de desenvolvimento humano e econômico. Acreditamos que através das ações do Festival, como o Concurso de Canto Natércia, estamos exercendo nosso desejo de impulsionar vidas através da cultura, fomentando um futuro melhor para a sociedade” – comenta Glauco Paiva, gerente executivo de Comunicação e Responsabilidade Social da Shell Brasil, lembrando ainda que a empresa figurou em 2022 como a segunda maior patrocinadora de cultura através da Lei Federal de Incentivo à Cultura. Programação: 07/09 – Abertura oficial às 14h 07/09 – Início da audição da semifinal – 14h40 08 e 09/09 – Início da audição da semifinal – 10h 10/09 – Final – 14h 10/09 – Anúncio dos ganhadores – 19h30 Sobre a Shell Brasil: Há 110 anos no país, a Shell é uma empresa de energia integrada com participação em Upstream, no Novo Mercado de Gás Natural, Trading, Pesquisa & Desenvolvimento e no Desenvolvimento de Energias Renováveis, com um negócio de comercialização no mercado livre e produtos ambientais, a Shell Energy Brasil. Aqui, a distribuição de combustíveis é gerenciada pela joint-venture Raízen, que recentemente adquiriu também o negócio de lubrificantes da Shell Brasil. A companhia trabalha para atender à crescente demanda por energia de forma econômica, ambiental e socialmente responsável, avaliando tendências e cenários para responder ao desafio do futuro da energia. Patrocínio Master: Shell Patrocínio Ouro: Instituto Cultural Vale Produção: TS Projetos Culturais Correalização: Orquestra Sinfônica do Estado do Espírito Santo e Secretaria de Cultura do Governo do Estado do Espírito Santo Realização: Cia de Ópera do Espírito Santo (COES), Ministério da Cultura e Governo Federal, através da Lei de Incentivo à Cultura. Assessoria de Comunicação da Orquestra Sinfônica do Espírito Santo Erika Piskac (27) 99283-1081 / (27) 99273-1875 e-mail: comunicacao.coes@gmail.com Instagram: @orquestrasinfonicaes

  • Sinfônica do ES abre seleção para contratação de músicos

    A Cia de Ópera do Espírito Santo (Coes), Organização Social responsável pela gestão da Orquestra Sinfônica do Espírito Santo (Oses), abriu inscrições para seleção de novos músicos. Os interessados têm entre os dias 21 a 25 de agosto para se inscrever, por meio do formulário disponível AQUI. O processo seletivo, aberto tanto para contratação quanto para formação de cadastro de reserva, é para o cargo de músico de orquestra, em regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Conheça as vagas: Prazo indeterminado: Violinista (2 vagas) Cadastro de reserva: Violinista (10 vagas) Violoncelista: (7 vagas) Oboísta (3 vagas) Trompa (3 vagas) Trompetista (2 vagas) Percussionista (3 vagas) Demais informações estão disponíveis no Edital do Processo Seletivo, AQUI. Informações à Imprensa: Assessoria de Comunicação da Orquestra Sinfônica do Espírito Santo Erika Piskac (27) 99283-1081 / 27 99273-1875 e-mail: comunicacao.coes@gmail.com Instagram: @orquestrasinfonicaes

  • Sinfônica do Espírito Santo recebe regente convidado da Amazonas Filarmônica

    Com um repertório variado, que remete a viagens e passagens, as duas apresentações acontecerão nos dias 30 e 31 de agosto, no Sesc Glória. Com um repertório variado, que remete a viagens e passagens, a Orquestra Sinfônica do Espírito Santo (Oses) realiza mais dois concertos nos dias 30 e 31 de agosto, às 20h, no Sesc Glória, no Centro de Vitória. O “passeio” musical será conduzido por obras dos compositores Jean Sibelius, com “Cavalgada Noturna e Amanhecer”, Marisa Rezende, com “Viagem ao Vento”, e Samuel Zyman, com “Rios e Vertentes”. Para as duas apresentações, a Oses tem a honra de receber um maestro convidado Otávio Simões, vindo do Amazonas, onde atua como regente assistente da Orquestra Amazonas Filarmônica. Os ingressos já estão à venda na bilheteria do Centro Cultural Sesc Glória ou neste LINK. Os valore são R$ 20 (inteira); R$ 15 (conveniado); R$ 12 (cartão empresário); R$ 10 (meia-entrada e comerciário); e R$ 10 (meia-entrada solidária, com doação de 1kg de alimento). As obras A partir dos anos de 1890, Jean Sibelius se tornou um compositor fundamental para a construção da identidade musical de seu país, a Finlândia. Como o nome sugere, “Cavalgada Noturna e Amanhecer” divide-se em duas partes. A primeira é dominada por um ritmo insistente, que remete a uma viagem de carruagem à noite. A segunda apresenta melodias ascendentes e desenhos que evocam o canto de pássaros ao amanhecer, como se este agora fosse o centro da atenção do viajante. Nascida no Rio de Janeiro, em 1944, a compositora Marisa Rezende tem forte atuação como compositora, professora e pianista desde os anos 1960. “Viagem ao Vento” é uma obra densa, de riquíssima orquestração, composta em 2008 pela ocasião dos 200 anos da chegada da família real portuguesa ao Brasil. A ideia de “Viagem ao Vento” é exaltar o Jardim Botânico do Rio de Janeiro, então fundado por D. João VI. Em “Rios e Vertentes”, o compositor mexicano Samuel Zyman estabelece relações entre o fluir das águas (às vezes mais, às vezes menos caudalosas), o fluir do tempo, e o fluir das diferentes seções musicais de sua obra, uma após a outra. Seu caráter épico, especialmente na parte final, está ligado ao momento de sua estreia, quando a Orquestra Filarmônica da Unam (Ofunam), no México, celebrava seus 80 anos de existência. O maestro Otávio Simões é regente assistente da Orquestra Amazonas Filarmônica desde 2013. Natural de São Paulo, é graduado em regência pela Universidade de São Paulo (USP), onde estudou com Aylton Escobar, Mario Ficarelli, Lorenzo Mammì entre outros. Entre 2004 e 2005, foi regente assistente da Orquestra de Câmara da USP (Ocam). Fez parte do corpo docente do 28º Festival de Música de Prados, em Minas Gerais (2005). A convite da Prefeitura de São Bernardo do Campo, em São Paulo, ministrou em 2008 o curso “Entendendo a Música Erudita”. Trabalhou no Theatro Municipal de São Paulo nas temporadas líricas de 2006 a 2012. É autor de 307 arranjos e adaptações diversas. Desde 2019, é membro da Academia Amazonense de Música. Serviço: Série Pré-Estreia e Concertos Sinfônicos Data: 30 e 31 de agosto Hora: às 20h Local: Sesc Glória, Av. Jerônimo Monteiro, 428, Centro de Vitória Ingressos: R$ 20 (inteira), R$ 15 (conveniado), R$ 12 (Cartão empresário), R$ 10 (meia-entrada e comerciário), R$ 10 (meia-entrada solidária, com doação de 1kg de alimento). Informações à Imprensa: Assessoria de Comunicação da Secult Tiago Zanoli / Danilo Ferraz / Karen Mantovanelli / Juliana Nobre Telefone: (27) 3636-7111 Whatsapp: (27) 99753-7583 secultjornalismo@gmail.com / comunicacao@secult.es.gov.br Assessoria de Comunicação da Orquestra Sinfônica do Espírito Santo Erika Piskac (27) 99283-1081 / (27) 99273-1875 e-mail: comunicacao.coes@gmail.com Instagram: @orquestrasinfonicaes

  • Orquestra Sinfônica do Espírito Santo apresenta concerto em tributo a Rita Lee

    Serão realizadas três sessões, nos dias 17, 18, 19 de agosto, no Sesc Glória. A Orquestra Sinfônica do Espírito Santo (Oses) realiza mais uma temporada da série “Rock Sinfônico”, desta vez interpretando canções de uma das artistas mais influentes da história da música popular brasileira: Rita Lee. As apresentações acontecem quinta-feira (17), sexta-feira (18) e sábado (19), às 20h, no Sesc Glória, em Vitória. Sob regência do maestro Helder Trefzger, uma banda formada só por mulheres se junta à Oses, com vocais de três importantes cantoras do cenário capixaba: Dona Fran, Elaine Augusta e Dani Moraes. Os ingressos estão à venda na bilheteria do Sesc Glória ou on-line, e custam R$ 20 (inteira), R$ 15 (conveniado), R$ 12 (cartão empresário) e R$ 10 (meia-entrada para comerciário ou mediante apresentação de 1kg de alimento não perecível). Links dos ingressos: Quinta (17) | Sexta (18) | Sábado (19) Rita Lee foi cantora, compositora, multi-instrumentista, escritora, apresentadora e ativista. Mais conhecida como a “Rainha do Rock”, sua obra vai muito além desse gênero, flertando também com o tropicalismo, a MPB, a bossa nova, o pop internacional e a música eletrônica. Ganhou notoriedade com o grupo Os Mutantes, entre 1966 e 1972, e com a banda Tutti Frutti, entre 1973 e 1978, período marcado pela inovação do rock brasileiro e que serviu de inspiração para as gerações seguintes. A partir da década de 1980, Rita Lee tornou-se presença constante nas paradas de sucesso, sendo a artista feminina de maior sucesso comercial da história, com mais de 55 milhões de discos vendidos. Esta edição do “Rock Sinfônico” presta tributo à cantora, que faleceu recentemente, aos 75 anos de idade. Alguns de seus maiores sucessos, como “Ovelha Negra”, “Doce Vampiro”, “Lança Perfume” e “Baila Comigo”, estão no programa. As cantoras Elaine Augusta é cantora, atriz e professora da rede pública. Como intérprete, já cantou com a Camerata Sesi, a Orquestra da Companhia de Ópera do Espírito Santo, no Festival Sérgio Sampaio, no Festival de Música Erudita e no projeto Tria. No teatro e na dança, fez diversos musicais, utilizando suas habilidades de cantora, dançarina e atriz. Foi integrante do Grupo Vira Lata de Teatro e do Coletivo Emaranhado e fez vários papéis em filmes produzidos no Espírito Santo. Desenvolve pesquisas nas artes cênicas e na cultura popular. Dona Fran é vocalista da banda que tem seu nome, aventurando-se na cena musical do Espírito Santo tendo principalmente o rock clássico como base de seu repertório, que passa por nomes como Janis Joplin, Led Zeppelin, Deep Purple, AC/DC e Kiss. Dani Moraes é cantora, multi-instrumentista, arranjadora vocal e compositora. Com mais de 30 anos de carreira, já levou sua arte pelo Brasil e pelo mundo, tendo se apresentado nos EUA, nas Antilhas Francesas e na Europa, onde foi atração do Festival de Celles Sur Belle, na França. Ao longo de sua carreira lançou três discos e dividiu o palco com nomes como Simoninha, Zé Renato, Miele, Toquinho, Andy Timons, Rachell Luz, Zeca Baleiro e Margareth Menezes – sendo esses dois últimos seus parceiros de composição em músicas que serão lançadas em seu próximo álbum. Ficha técnica: Elaine Augusta, vocalista Dona Fran, vocalista Dani Moraes, vocalista e contrabaixo Alza Alves, backing vocal Mariana Gruvira, guitarra Thaysa Pizzolato, teclado Maressa Machado, bateria Elian Ramile, figurino Leonardo Cunha, Arranjador ​Regência, Helder Trefzger Serviço: Rock Sinfônico: Especial Viva Rita! Quando: de 17/08 a 19/08 Hora: às 20h Local: Sesc Glória, Av. Jerônimo Monteiro, 428, Centro de Vitória Ingressos: R$ 20,00 (inteira) R$ 15,00 (conveniado) R$ 12,00 (cartão empresário) R$ 10,00 (meia-entrada/comerciário) R$ 10,00 (meia solidária + 1kg alimentos não perecíveis) Informações à Imprensa: Assessoria de Comunicação da Orquestra Sinfônica do Espírito Santo Erika Piskac (27) 99283-1081 / 27 99273-1875 e-mail: comunicacao.coes@gmail.com Instagram: @orquestrasinfonicaes

  • Sinfônica do Espírito Santo apresenta repertório com obras folclóricas e temática da natureza

    As duas apresentações, que acontecem nos dias 9 e 10 de agosto, contam com a regência do maestro assistente Sanny Souza. A Orquestra Sinfônica do Espírito Santo (Oses) apresenta, nos dias 9 e 10 de agosto, às 20h, no Sesc Glória, no Centro de Vitória, um repertório que segue a temática da temporada: “Música e Natureza”. Sob a regência do maestro assistente Sanny Souza, serão apresentadas as seguintes obras: “No Reino da Natureza”, de Antonín Dvorák; “Série Brasileira”, de Alberto Nepomuceno; e “Da Terra”, da compositora paraense Cibelle Donza. Os ingressos já estão à venda na bilheteria do Sesc Glória ou on-line, neste link, e custam R$ 20 (inteira), R$ 15 (conveniado), R$ 12 (cartão empresário) e R$ 10 (meia-entrada para comerciário ou mediante apresentação de 1kg de alimento não perecível). As obras O tcheco Antonín Dvorák compôs “No Reino da Natureza” em 1891, comoprimeira parte da trilogia “Natureza, Vida e Amor”. O tema principal da obra, o chamado “motivo da natureza”, vem dos cantos montanheses da Morávia, associando o reino do título às paisagens campestres de seu país natal. “No Reino da Natureza” é um exemplo do lirismo de Dvorák e de seu talento como melodista. Alberto Nepomuceno foi um compositor cearense nascido em 1864. Tendo estudado na Europa, foi próximo de Edvard Grieg, tornando-se um precursor nos nacionalistas brasileiros. Com quatro movimentos, a obra “Série Brasileira” se divide em: “Alvorada na Serra”, que faz o uso do tema folclórico “Sapo Jururu” para descrição do amanhecer; “O Intermédio”, que tem parentesco com os ritmos do maxixe; “Sesta na Rede” é mais tranquilo e, provavelmente, inspirado na infância do compositor e, por fim, “Batuque”, finalizando a obra com ritmos e instrumentos de percussão inusuais para a música de concerto da época. “Da Terra”, da compositora paraense Cibelle Donza, estreou em 2023, em Brasília. É uma obra que reflete sobre a relação do ser humano com a Terra, e sua passagem efêmera por este planeta. Buscando celebrar o milagre e a beleza da vida, Cibelle Donza afirma que a composição “tem uma visão mais leve, otimista e congregacional”. Certo sabor amazônico deve-se ao uso de instrumentos de percussão típicos como sementes de sapucaia, maracas, sons de pássaros e o banzeiro (combinação característica do Lundu). Sobre o maestro Sanny Souza é o atual maestro assistente da Oses. Em sua formação, destaca-se o mestrado em Educação Musical pela Campbellsville University, no Kentucky, Estados Unidos, e o bacharelado em Música pela Unirio. Além de sua atuação por 28 anos como violoncelista Oses, Sanny também é professor da Faculdade de Música do Espírito Santo (Fames), responsável pela direção musical do Coro Vox Victoria e maestro do Coro Sinfônico da Fames. Em sua trajetória como maestro, já regeu o Coro da Petrobras UN/ES, Fames Jazz Sinfônica, Fames Jazz Band e Orquestra Vale Música. Já se apresentou na Europa e nos Estados Unidos. Acesse a programação completa da Oses no site https://www.oses.art.br/programacao Serviço: Série “Quarta e Quinta Clássica” Quando: 09/08 (quarta-feira) e 10/08 (quinta-feira) Horário: às 20h Local: Centro Cultural Sesc Glória, Avenida Jerônimo Monteiro, 428, Centro de Vitória Ingressos: R$ 20 (inteira), R$ 15 (conveniado), R$ 12 (cartão empresário) e R$ 10 (meia-entrada para comerciário ou mediante apresentação de 1kg de alimento não perecível). Maestro: Sanny Souza Repertório: “No Reino da Natureza”, de Antonín Dvorák “Série Brasileira”, de Alberto Nepomuceno “Da Terra”, de Cibelle Donza Informações à Imprensa: Assessoria de Comunicação da Orquestra Sinfônica do Espírito Santo Erika Piskac (27) 99283-1081 / 27 99273-1875 e-mail: comunicacao.coes@gmail.com Instagram: @orquestrasinfonicaes

  • Série ES: Sinfônica do Espírito Santo realiza concerto itinerante em Cachoeiro de Itapemirim

    A apresentação acontecerá na Catedral de São Pedro, na próxima quinta-feira (27), a partir das 19 horas, com entrada gratuita. A Orquestra Sinfônica do Espírito Santo (Oses) segue rumo ao sul do estado, no próxima quinta-feira (27), com sua agenda de apresentações itinerantes na “Série ES”. Desta vez, o concerto será realizado em Cachoeiro de Itapemirim, na Catedral de São Pedro, às 19h, com entrada gratuita. Sob a regência do maestro Helder Trefzger, a Oses interpretará um repertório de clássicos atemporais, como a conhecida obra “Peer Gynt, Suite nº 1”, do compositor Edvard Grieg, e a abertura da ópera, “O Guarani”, de Carlos Gomes. Conheça as obras Um dos temas clássicos mais conhecidos do mundo, “Morning Mood”, que faz parte da peça teatral “Peer Gynt”, do escritor Henrik Ibsen, com música incidental de Edvard Grieg, estreou na Noruega em 1876. A obra transmite e descreve o nascer do sol em uma atmosfera matinal. Mais uma vez a natureza, associada ao sobrenatural, se faz presente com “Uma Noite no Monte Calvo”, do russo Modest Mussorgsky. O próprio compositor deixou escrito como fonte de inspiração extramusical: “Ruídos subterrâneos de vozes sobrenaturais. Aparição de espíritos das trevas e do Deus da Noite (...) No auge do sabá, toca ao longe o sino de uma pequena igreja. Ela dispersa os espíritos das trevas. O dia amanhece”. Vaughan Williams foi um compositor inglês nascido em 1872. Logo no início de “As Vespas”, percebe-se uma inusitada imitação dos insetos, e a obra segue em clima divertido. Como se pode perceber por essa obra, a música de Vaughan Williams influenciou muitas trilhas sonoras para teatro e cinema das décadas seguintes. Carlos Gomes foi o principal compositor romântico de ópera no Brasil. No programa, está a abertura de “O Guarani”, que contém algumas das mais conhecidas melodias do compositor, e “Alvorada”, obra sinfônica que faz parte da ópera “O Escravo”, onde o compositor evoca o amanhecer na floresta com toques impressionistas. Repertório “Peer Gynt, Suite nº 1”, de Edvard Grieg (duração aproximada de 15 minutos) “Uma Noite no Monte Calvo”, de Modest Mussorgsky (duração aproximada de 10 minutos) “As Vespas, Abertura”, de Ralph Vaughan Williams (duração aproximada de 10 minutos) “Alvorada”, da ópera “Lo Schiavo” (“O Escravo”), de Antônio Carlos Gomes (duração aproximada de 6 minutos) Abertura da ópera “Il Guarany” (“O Guarani”), de Antônio Carlos Gomes (duração aproximada de 9 minutos) Regência: Helder Trefzger Serviço: Série ES – Cachoeiro de Itapemirim Quando: 27/07 (quinta-feira) Horário: às 19h Local: Catedral de São Pedro, Rua Barão de Itapemirim, 36, Centro, Cachoeiro de Itapemirim Entrada gratuita Informações à Imprensa: Assessoria de Comunicação da Secult Tiago Zanoli / Danilo Ferraz / Karen Mantovanelli / Juliana Nobre Telefone: (27) 3636-7111 Whatsapp: (27) 99753-7583 secultjornalismo@gmail.com / comunicacao@secult.es.gov.br Assessoria de Comunicação da Coes Erika Antônia Piskac Tel: (27) 99283-1081 E-mail: comunicacao.coes@gmail.com Instagram: @orquestrasinfonicaes

  • Sinfônica do Espírito Santo divide palco com Wagner Tiso no Festival de Inverno de Domingos Martins

    Apresentação é aberta ao público e vai abrir a programação do evento, no dia 14 de julho, às 20h30. Quem gosta de boa música e do clima agradável das montanhas capixabas vai contar com uma programação reunindo mais de 70 atrações no 28º Festival Internacional de Inverno de Domingos Martins, que acontece de 14 a 23 de julho. E a abertura do evento, no palco principal, fica por conta da Orquestra Sinfônica do Espírito Santo (Oses), que divide o palco com o renomado pianista Wagner Tiso. O concerto acontece na sexta-feira (14), às 20h30, na Praça Dr. Arthur Gehardt, em Campinho, com entrada gratuita. De acordo com o maestro Helder Trefzger, a participação da orquestra é uma ótima oportunidade de reunir um repertório diversificado para um grande público em um dos festivais mais tradicionais do país. “Será um enorme prazer dividir novamente o palco com o grande pianista Wagner Tiso, em que o repertório escolhido homenageia a obra de Villa-Lobos nas canções ‘Mandu-Çarará’, com inspiração de temática indígena, ‘Choro de Mãe’, um clássico da era moderna do Choro e ‘Cenas Brasileiras’, um rico e variado painel sonoro.” A Orquestra Sinfônica do Espírito Santo já faz parte da trajetória do festival, tendo tocado em quase todas as edições. Em seu histórico de apresentações, destacam-se concertos ao lado de grupos como Brasilidade Geral e a banda Club Big Beatles, a apresentação da grandiosa obra “Réquiem de Mozart”, além do clássico Rock Sinfônico. Confira a programação completa do Festival AQUI. Sobre o solista Compositor, instrumentista e arranjador, Wagner Tiso iniciou sua carreira ao lado de Milton Nascimento, integrando o conjunto Luar de Prata. Nos seus mais de 40 anos de carreira tocou com duos, trios, quartetos, e é um dos mais requisitados arranjadores do país. Tem 30 discos gravados, quase todos lançados também no exterior. Wagner Tiso nasceu em 1945, na cidade de Três Pontas, Minas Gerais. Desde o fim dos anos 50, já se apresentava com Milton Nascimento em clubes e bailes da região. Na década seguinte, tornou-se arranjador e pianista do Clube da Esquina, um dos movimentos mais marcantes da história da música popular brasileira. Sua carreira seguiu como compositor de trilhas sonoras para mais de 30 filmes, além de diversos álbuns que fazem parte da antologia brasileira. Wagner Tiso também morou em diversos países, como Portugal, Espanha e Suíça, gravando álbuns importantes e se apresentando também internacionalmente. Confira o repertório: Heitor Villa-Lobos (arranjo de Wagner Tiso): Mandu-Çarará (duração aproximada: 4 min); Wagner Tiso: Choro de Mãe (duração aproximada: 5 min.); Antônio Carlos Jobim (arranjo de Wagner Tiso): Eu sei que vou te amar (duração aproximada: 10 min.); Wagner Tiso: Suíte Cenas Brasileiras (duração aproximada: 25 min) 1. Mata-Burro 2. Sete Tempos 3. A Lenda do Boto 4. Olinda Guanabara 5. Frevo Solista: Wagner Tiso, piano Regência: Helder Trefzger Serviço: Série ES: Domingos Martins Quando: 14 de julho (sexta-feira) Horário: às 20h30 Local: Praça Dr. Arthur Gerhardt - Centro, Domingos Martins Entrada gratuita Informações à Imprensa: Assessoria de Comunicação da Secult Tiago Zanoli / Danilo Ferraz / Karen Mantovanelli / Juliana Nobre (27) 3636-7111 / (27) 99753-7583 / (27) 99902-1627 secultjornalismo@gmail.com / comunicacao@secult.es.gov.br Erika Antônia Piskac (27) 99283-1081 comunicacao.coes@gmail.com Instagram: @orquestrasinfonicaes

  • Canto dos pássaros e os sons da natureza dão o tom aos próximos concertos da Sinfônica do ES

    As duas apresentações acontecerão nos dias 28 e 29 de junho, no Sesc Glória A Orquestra Sinfônica do Espírito Santo (Oses) apresenta, nos dias 28 e 29 de junho, às 20 horas, no Sesc Glória, Centro de Vitória, um repertório que explora o canto dos pássaros, os sons da natureza e os sentimentos. Para as duas apresentações, a Oses terá a honra de receber dois convidados: o flautista Alexandre Braga e a maestra Alba Bomfim. Os ingressos já estão à venda na bilheteria do Centro Cultural Sesc Glória ou on-line, no LINK e custam R$ 20 (inteira); R$ 15 (conveniado); R$ 12 (Cartão empresário), R$ 10 (meia-entrada e comerciário) e R$ 10 + 1kg de alimento (meia solidária). Conheça um pouco sobre cada obra: A inspiração na Natureza é um elemento relativamente comum na literatura musical de Antonio Vivaldi. No “Concerto op.10”, Vivaldi se vale do canto do pássaro pintassilgo, mas não imitando-o literalmente, e sim como base para notas repetidas, trinados e outros ornamentos na flauta. A suíte orquestral “Os Pássaros”, de Respighi, é uma obra que se inspira na música dos séculos 17 e 18. Podemos, assim, chamá-la de “neobarroca” e afirmar que, seguramente, o Pintassilgo de Vivaldi serviu de base para esta composição. Aqui, cada movimento se inspira no canto e nos movimentos dos pássaros, que são a pomba, a galinha, o rouxinol e o cuco. A compositora brasileira Tatiana Catanzaro estreou “In Response to the unheard music hidden in the shrubbery” em 2018. Segundo ela, a obra é uma resposta aos símbolos que não mostramos, “que nos formaram, que nos machucaram e que deixamos soterrados”. A primeira parte de “Terra Brasilis”, de Edino Krieger, explora o canto dos pássaros, os sons da floresta e das cachoeiras, fazendo uso, inclusive, de duas melodias da nação juruna. A segunda descreve a viagem dos primeiros portugueses ao Brasil, as canções que talvez entoassem durante a viagem e os sons do mar e das tempestades. A terceira nos fala da junção de povos que define a riqueza cultural brasileira. Apresenta desde o canto gregoriano e canções de diferentes partes do mundo, até os ritmos brasileiros em um final apoteótico. Sobre a maestra Alba Bomfim é Doutora em Regência de Orquestra pela Universidade de Aveiro – Portugal, bacharel na mesma área pela UniRio, licenciada e mestre em Música pela UnB e violoncelista de formação. Foi uma das seis selecionadas pelo Instituto Hart da Ópera de Dallas de Regentes Mulheres de 2017 e vencedora do Prêmio Eleazar de Carvalho para Regentes, em 2009. Recebeu lições dos maestros Ernani Aguiar, Fabio Mechetti, Kenneth Kiesler, Kurt Masur e Marin Alsop. Rege orquestras no Brasil, Europa e EUA. Desde 2012 é Professora de Regência e Práticas Interpretativas na Universidade Federal do Piauí. Sobre o solista Alexandre Braga nasceu em Varginha, sul de Minas Gerais, onde teve suas primeiras aulas no Conservatório Estadual de Música, com a professora Leonilda Silva. Graduou-se em flauta pela UFMG, na classe do professor Artur Andrés. Alexandre dedica-se à carreira de músico de orquestra há mais de 20 anos, tendo sido flautista das orquestras Sinfônica de Minas Gerais e Orquestra Ouro Preto. Alexandre é flautista da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais desde sua fundação, em 2008. Série “Pré-Estreia” e “Concertos Sinfônicos” Data: 28 e 29 de junho Local: Sesc Glória, Centro de Vitória Hora: 20 horas Ingressos: R$ 20 (inteira) R$ 15 (conveniado) R$ 12 (Cartão empresário) R$ 10 (meia-entrada e comerciário), R$ 10 + 1kg de alimento (meia solidária) Repertório: Antonio Vivaldi: Concerto op.10, n.3 Il Gardellino (O Pintassilgo) Solista: Alexandre Varginha, flauta Ottorino Respighi: Gli Uccelli (Os Pássaros) Tatiana Catanzaro: In Response to the unheard music hidden in the shrubbery (Em reposta à música que não se ouve escondida no arbusto) Edino Krieger: Terra Brasilis – Painel Sinfônico Regência: Alba Bomfim Informações à Imprensa: Assessoria de Comunicação da Orquestra Sinfônica do Espírito Santo Erika Piskac (27) 99283-1081 / 27 99273-1875 e-mail: comunicacao.coes@gmail.com Instagram: @orquestrasinfonicaes

  • Sinfônica do Espírito Santo: série ‘Orquestra nas Escolas’ abre temporada de apresentações

    Maratona de apresentações didáticas vai passar por 19 escolas da Grande Vitória nesta primeira etapa do projeto. A Orquestra Sinfônica do Espírito Santo (Oses), em parceria com a Secretaria da Educação (Sedu), vai realizar mais uma temporada de apresentações didáticas em escolas de bairros com alto índice de vulnerabilidade social, que fazem parte do eixo social do Programa Estado Presente em Defesa da Vida, do Governo do Estado. Nesta primeira etapa da série “Concertos Didáticos”, a Oses fará 19 apresentações no total, em duas escolas por dia, no período da manhã. Em novembro, a série retorna, atendendo a mais dez escolas. As primeiras apresentações da série “Orquestra nas Escolas” acontecem na próxima segunda-feira (05), às 10 horas, em Vila Velha, na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio (EEEFM) Florentino Avidos, no Ibes, e no Centro Estadual de Ensino Médio em Tempo Integral (CEEMTI) Professora Maria Abaurre, em Vila Nova. A temporada de concertos passará também por escolas da Serra, de Cariacica e Vitória, com apresentações nas quadras de esportes das unidades escolares, seguindo um formato interativo e didático. Inicialmente, músicos e maestro apresentam seus instrumentos individualmente ou em pequenos grupos, propiciando aos estudantes a percepção de cada fonte sonora de forma destacada. “A perspectiva da Oses é estimular a formação de público para a música erudita. Por isso, a opção pelo formato do concerto didático, que estabelece uma dinâmica interativa com a plateia e funciona como uma aula descontraída sobre o funcionamento da orquestra”, afirmou o maestro Helder Trefzger. Durante a apresentação, são executadas músicas de compositores clássicos, temas de filmes e melodias conhecidas. Além de comentar sobre as obras apresentadas, o maestro também explica os instrumentos que fazem parte da orquestra e, dessa forma, desperta nos ouvintes o interesse pelo aprendizado musical. Confira o repertório: Wolfgang Amadeus Mozart – Uma Pequena Serenata Noturna, KV. 525 – Primeiro Movimento Ludwig van Beethoven – Abertura As Criaturas de Prometeu op. 43 Chiquinha Gonzaga – Forrobodó, Alerta, Gaúcho e Atraente Anacleto de Medeiros – Terna Saudade César Guerra-Peixe / Clóvis Pereira – Mourão Arranjo de música surpresa Regência: Helder Trefzger e maestro assistente Confira a agenda de apresentações: 05/06 – VILA VELHA EEEFM Florentino Avidos, no Ibes CEEMTI Professora Maria Abaurre, em Vila Nova 06/06 – VITÓRIA Colégio Estadual do Espírito Santo, no Forte São João EEEFM Elza Lemos Andreatta, em Ilha das Caieiras 07/06 – SERRA Instituto Cultural Vale – Projeto Vale Música, em Cidade Continental 12/06 – SERRA EEEFM Marinete de Souza Lira, em Feu Rosa EEEFM Vila Nova de Colares, em Vila Nova de Colares 13/06 – VILA VELHA EEEM Professor Agenor Roris, em Praia de Itaparica EEEM Ormanda Gonçalves, em Nova América 14/06 – CARIACICA EEEFM Saturnino Rangel Mauro, em Nova Rosa da Penha EEEFM Joao Crisóstomo Belesa, em Porto de Santana 15/06 – SERRA EEEFM Belmiro Teixeira Pimenta, em Eurico Salles EEEFM Elice Baptista Gáudio, em Serra Dourada II 16/06 – CARIACICA CEEFTI Presidente Castelo Branco, em Porto de Santana CEEFTI Itagiba Escobar, em Sotema 19/06 – SERRA EEEFM Francisco Nascimento, em Castelândia EEEFM Antônio Engracio da Silva, em Feu Rosa 20/06 – CARIACICA E VITÓRIA EEEFM Professor Joaquim Barbosa Quitiba, em Itanguá, Cariacica EEFM Almirante Barroso, em Goiabeiras, Vitória Informações à Imprensa: Assessoria de Comunicação da Secult Tiago Zanoli / Danilo Ferraz / Karen Mantovanelli / Juliana Nobre (27) 3636-7111 / (27) 99753-7583 / (27) 99902-1627 secultjornalismo@gmail.com / comunicacao@secult.es.gov.br Assessoria de Comunicação da Oses Erika Antônia Piskac (27) 99283-1081 comunicacao.coes@gmail.com Instagram: @orquestrasinfonicaes

  • Sinfônica do Espírito Santo realiza concerto com repertório apenas de compositores brasileiros

    A Orquestra Sinfônica do Espírito Santo (Oses) apresenta um repertório com obras apenas de compositores brasileiros, dentro da série Concertos Sinfônicos, nesta quarta-feira (24) e quinta-feira (25), às 20h, no Sesc Glória, Centro de Vitória. Na ocasião, a orquestra receberá dois convidados: o pianista Hércules Gomes e a maestra Priscila Bomfim. Os ingressos já estão à venda na bilheteria do Sesc Glória ou on-line, neste link, e custam R$ 20 (inteira), R$ 12 (conveniado) e R$ 10 (meia-entrada e cliente com credencial do Sesc). Sobre o repertório “Colar de Pérolas” foi composta pela paulista Silvia de Lucca em 1999. A obra, encomendada para um concerto totalmente executado por mulheres, discute, de certa forma, o feminino e o masculino. “Colar de Pérolas” usa as delicadas joias da natureza não de maneira graciosa, mas como forma estruturante da obra. Um fio condutor interliga cada seção musical representada por pérolas. Segundo a compositora, o “feminino e o masculino não têm fronteiras tão definidas, tão distintas”.​ O “Concerto para Piano nº 1”, do jovem compositor e regente João Carlos Rocha, traz a proposta de unir a cultura afro-brasileira à linguagem sinfônica contemporânea. Utilizando-se de recursos do passado e do presente, unindo-os à pesquisa sobre as origens africanas da cultura brasileira, esse concerto resulta, ao mesmo tempo, inovador e familiar. ​O termo “bachiana” refere-se à música de Johann Sebastian Bach. Nelas, Heitor Villa-Lobos buscou, com bastante liberdade, certa fusão entre matrizes musicais brasileiras e o estilo barroco de Bach. Em “Bachianas no. 4”, já na introdução há uma melodia nostálgica executada exclusivamente pelas cordas. Em “Canto do Sertão”, ouve-se a nota si bemol repetida insistentemente, como um evento à parte, numa menção ao grito da araponga. Em “Cantiga”, destaca-se o uso da canção “Caicó”, do folclore nordestino. Encerrando com “Miudinho”, que mistura a ginga das rodas de samba à ampla orquestração sinfônica. Maestra convidada Além de seu reconhecido trabalho como pianista, Priscila Bomfim tem desenvolvido ampla carreira como regente, realizando concertos com as principais orquestras sinfônicas do país, entre elas, a Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB), do Rio de Janeiro; a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (Ospa), do Rio Grande do Sul; a Academia de Ópera do Theatro São Pedro, de São Paulo; a Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas (SP); e a Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, onde trabalha há muitos anos em produções de óperas. Também é regente da Orquestra Sinfônica Juvenil Chiquinha Gonzaga, formada por alunas da rede pública do Rio de Janeiro. Em 2023, tem na agenda as óperas “Cendrillon” (Pauline Viardot) e “Eugene Onegin” (Tchaikovsky), além de “Les Noces”, de Stravinsky. ​Solista convidado Considerado um dos mais representativos pianistas brasileiros da atualidade, Hércules Gomes já se apresentou em importantes festivais como o Piano, Piano (Buenos Aires), o Brazilian Music Institute (Miami) e o Festival de Inverno de Campos do Jordão (SP). Foi vencedor do 11º Prêmio Nabor Pires de Camargo e do I Prêmio Mimo Instrumental. Como solista, atuou com orquestras como a Jerusalem Symphony Orchestra, Orquestra Sinfônica da Universidade de São Paulo (Osusp), Sinfônica de Campinas e Orquestra Jovem Tom Jobim. Em 2021, teve seu recital solo com tangos brasileiros e argentinos como parte da programação da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp) na Sala São Paulo. Série Concertos Didáticos Quer levar a sua escola para acompanhar os ensaios gerais da Orquestra Sinfônica do Espírito Santo? Estão abertas vagas para receber estudantes do ensino médio da rede pública estadual para a série Concertos Didáticos. A ação é uma oportunidade de conferir a dinâmica entre os músicos, ouvir apontamentos do regente e acompanhar parte do processo que é a preparação de uma música até o momento do concerto, além de estimular os jovens a descobrirem o universo sinfônico e suas infinitas possibilidades. Os ensaios gerais e a preparação dos músicos acontecem sempre às quartas-feiras, com concertos marcados a partir das 8h15, no Sesc Glória, Centro de Vitória. Para agendar a sua escola, mande e-mail para comunicacao.coes@gmail.com. Serviço: Série Concertos Sinfônicos Quando: 24/05 (quarta-feira) e 25/05 (quinta-feira) Horário: às 20h Local: Sesc Glória, Avenida Jerônimo Monteiro, 428, Centro, Vitória, Espírito Santo. Repertório: “Colar de Pérolas”, de Silvia de Lucca “Concerto para piano e orquestra no. 1”, de João Carlos Rocha “Bachianas no. 4”, de Heitor Villa-Lobos Solista convidado: Hércules Gomes Maestra convidada: Priscila Bomfim Informações à Imprensa: Assessoria de Comunicação da Oses Erika Antônia Piskac (27) 99283-1081 comunicacao.coes@gmail.com Instagram: @orquestrasinfonicaes Assessoria de Comunicação da Secult Tiago Zanoli / Danilo Ferraz / Karen Mantovanelli / Juliana Nobre (27) 3636-7111 / (27) 99753-7583 / (27) 99902-1627 secultjornalismo@gmail.com / comunicacao@secult.es.gov.br

  • Sinfônica do ES divulga temporada trimestral com a temática “Música e Natureza”

    Obras sinfônicas inspiradas em manifestações da natureza, como o canto dos pássaros, os sons do mar, as chuvas e as estações do ano. O conceito-tema da Temporada 2023 da Orquestra Sinfônica do Espírito Santo (Oses) é um verdadeiro tributo à natureza. Serão diversas apresentações, divididas em séries, como as já tradicionais Quarta e Quinta Clássicas, Pré-Estreia e Concertos Sinfônicos, além das séries de formação de plateia, como os Concertos Didáticos, Orquestra nas Escolas, Sinfônica no Parque, com uma apresentação especial de Dia das Mães e a Série Concertos Itinerantes em outras cidades do estado, para além da Grande Vitória. Abrindo oficialmente a temporada de concertos de 2023, nos dias 12 e 13 de abril, às 20 horas, no Sesc Glória, em Vitória, a Oses vai apresentar obras de dois compositores brasileiros: “Nhanderú”, de Clarice Assad, e “4 Canções da Floresta do Amazonas”, de Villa-Lobos, com solo da soprano Rosana Lamosa. Além da “Sinfonia n. 1 – Primavera”, do alemão Robert Schumann, tudo sob a batuta do maestro Helder Trefzger. Os ingressos custam R$ 20 (inteira), R$ 12 (conveniado) e R$ 10 (meia-entrada e cliente com credencial do Sesc) – à venda na bilheteria do Sesc Glória e também on-line, pelo LINK. Quem assina a curadoria da temporada é o maestro, professor, pianista e também pesquisador de ópera, Gabriel Rhein-Schirato, que escolheu “Música e Natureza” como temática. “Cada compositor e obra escolhida faz uso particular desse tipo de tema, segundo sua cultura, suas escolhas estéticas e suas referências pessoais do que venham a ser as tais paisagens naturais. Sob esse ponto de vista, falar de natureza também conflui, organicamente, para o repertório brasileiro: nossa flora e fauna, nosso folclore, nossos povos originários, nossas memórias”, afirma. Segundo Gabriel, a temporada ainda oferece um olhar a importantes figuras historicamente menorizadas. “Escolhemos dar luz a compositoras e compositores de altíssima qualidade que, por razões extramusicais, não foram eleitos como ‘gênios da música ocidental’, mas que podem – e devem – figurar nas salas de concerto pelo mundo afora”, conta. Destaques da Temporada “Nhanderú”, da brasileira Clarice Assad, se inspira nos rituais ancestrais das “danças da chuva” praticados por povos originários da Amazônia. A palavra Nhanderú significa, literalmente, “Deus” em tupi-guarani, e a obra de Assad explora, por um lado, sonoridades do mundo real e do próprio rito e, por outro, sonoridades abstratas e místicas na relação da Natureza com o Universo. Veleiro, Cair da Tarde, Canção de Amor, e Melodia Sentimental, têm texto de Dora Vasconcellos, e fazem parte da “Suíte Floresta do Amazonas”, de Heitor Villa-Lobos. São melodias altamente expressivas, que também se remetem aos povos originários da floresta, desta vez sob uma estética mais romântica. Em 1959, o próprio Villa-Lobos regeu uma gravação da obra tendo, como soprano, a lendária Bidu Sayão. Com sua Sinfonia n.1, intitulada “Primavera”, Robert Schumann dá continuidade à tradição das grandes sinfonias do repertório alemão, sucedendo diretamente a Ludwig van Beethoven e Franz Schubert. Estreada em 1840, quando o compositor tinha apenas 30 anos, a obra foi um sucesso imediato e é uma de suas obras orquestrais mais alegres e vibrantes. Os convidados A Temporada 2023 da Oses contará com solistas, maestras e maestros convidados, do Espírito Santo e de outros estados brasileiros, que foram cuidadosamente pensados para compor os espetáculos. Confira a temporada do primeiro trimestre: ABRIL 12 e 13 de abril | Quarta e Quinta Clássicas | 20 horas | Sesc Glória Clarice Assad: Nhanderú – Abertura para Orquestra (duração aproximada: 9 min.) Heitor Villa-Lobos: 4 Canções da Floresta do Amazonas (duração aproximada 12 min.) Veleiro; 2. Cair da Tarde; 3. Canção de Amor; 4. Melodia Sentimental Solista: Rosana Lamosa, soprano Robert Schumann: Sinfonia n. 1 – Primavera (duração aproximada: 30 min.) Andante un poco maestoso – Allegro vivace; 2. Larghetto; 3. Molto vivace e 4. Allegro animato e grazioso Regência: Helder Trefzger 26 e 27 de abril | Série Pré-Estreia e Concertos Sinfônicos | 20 horas | Sesc Glória Chevalier de Saint-Georges – Abertura L’Amant Anonyme (O Amante Anônimo) (duração aproximada: 10 min.) Elfrida Andrée: Abertura de Concerto em Ré Maior (duração aproximada: 11 min.) Claude Debussy: La Mer (O Mar) (duração aproximada: 25 min) De l’aube à midi sur la mer (Da Aurora ao meio-dia no mar); 2. Jeux de vagues (O Jogo das ondas); 3. Dialogue du vent et de la mer (Diálogo do vento e do mar). Regência: Helder Trefzger MAIO 10 e 11 de maio | Quarta e Quinta Clássicas | 20 horas | Sesc Glória Denise Garcia: Abertura Vivaldiana (duração aproximada: 6 min.) Alexandre Guerra: Suíte Sinfônica Brasil Azul (duração aproximada: 17 min.) Felix Mendelssohn: Abertura As Hébridas op.26 – “A Gruta de Fingal” (duração aproximada: 10 min) Richard Wagner: Abertura O Navio Fantasma (duração aproximada: 12 min) Regência: Silvio Viegas 14 de maio | Sinfônica no Parque: Especial Dia das Mães | 11 horas | Parque Botânico da Vale Denise Garcia: Abertura Vivaldiana (duração aproximada: 6 min) Alexandre Guerra: Suíte Brasil Azul (duração aproximada: 17 min) Strauss II: Danúbio Azul – 9 min. Strauss II: Vozes da Primavera – 6 min. Strauss II: Contos dos Bosques de Viena – 12 min. Regência: Helder Trefzger 24 e 25 de maio | Concertos Sinfônicos | 20 horas | Sesc Glória Silvia de Lucca: Colar de Pérolas (duração aproximada: 13 min.) João Carlos Rocha: Concerto para piano e orquestra n. 1 (duração aproximada: 20 min.) 1.Allegro Strepitoso; 2. Canzona; 3. Pagode Solista: Hércules Gomes, piano Silvestre Revueltas: Redes – Suíte orquestral (duração aproximada: 18 min) Los pescadores. Funeral del niño. Salida a la pesca (Os pescadores. Funeral do filho. Saída para a pesca) e 2. Lucha. Regreso de los pescadores con su compañero muerto (Luta. Regresso dos pescadores com seu companheiro morto) Regente: Priscila Bomfim JUNHO 5, 6, 7, 12, 13, 14, 15, 16, 19 e 20 de junho | Série Orquestra nas Escolas Wolfgang Amadeus Mozart – Uma Pequena Serenata Noturna, KV. 525 – Primeiro Movimento Ludwig van Beethoven – Abertura As Criaturas de Prometeu op. 43 - Chiquinha Gonzaga – Forrobodó, Alerta, Gaúcho e Atraente Anacleto de Medeiros – Terna Saudade Cesar Guerra-Peixe/ Clóvis Pereira – Mourão Arranjo de música surpresa Regência: Helder Trefzger e maestro assistente 28 e 29 de junho | Série Pré-Estreia e Concertos Sinfônicos Antonio Vivaldi: Concerto op.10, n.3 Il Gardellino (O Pintassilgo) (duração aproximada: 9 min.) 1.Allegro; 2. Cantabile; 3. Allegro Ottorino Respighi: Gli Uccelli (Os Pássaros) (duração aproximada: 20 min.) 1.Prelúdio; 2. La Colomba (A Pomba); 3. La Gallina (A Galinha); 4. L’usignuolo (O Rouxinol) e 5. Il Cucù (O Cuco) Solista: Alexandre Braga, flauta Tatiana Catanzaro: In Response to the unheard music hidden in the shrubbery (Em resposta à música que não se ouve escondida no arbusto) (duração aproximada: 5 min.) Edino Krieger: Terra Brasilis – Painel Sinfônico (duração aproximada: 20 min.) 1.A Natureza e os povos da floresta; 2. A Viagem e 3. O Encontro Regência: Alba Bomfim Informações à Imprensa: Assessoria de Comunicação da Secult Tiago Zanoli / Danilo Ferraz / Juliana Nobre (27) 3636-7111 / 99753-7583 / 99902-1627 secultjornalismo@gmail.com / comunicacao@secult.es.gov.br

bottom of page