top of page

Sinfônica do Espírito Santo apresenta repertório com obras folclóricas e temática da natureza

As duas apresentações, que acontecem nos

dias 9 e 10 de agosto, contam com a regência do maestro assistente Sanny Souza.



A Orquestra Sinfônica do Espírito Santo (Oses) apresenta, nos dias 9 e 10 de agosto, às 20h, no Sesc Glória, no Centro de Vitória, um repertório que segue a temática da temporada: “Música e Natureza”. Sob a regência do maestro assistente Sanny Souza, serão apresentadas as seguintes obras: “No Reino da Natureza”, de Antonín Dvorák; “Série Brasileira”, de Alberto Nepomuceno; e “Da Terra”, da compositora paraense Cibelle Donza.

Os ingressos já estão à venda na bilheteria do Sesc Glória ou on-line, neste link, e custam R$ 20 (inteira), R$ 15 (conveniado), R$ 12 (cartão empresário) e R$ 10 (meia-entrada para comerciário ou mediante apresentação de 1kg de alimento não perecível).

As obras

O tcheco Antonín Dvorák compôs “No Reino da Natureza” em 1891, comoprimeira parte da trilogia “Natureza, Vida e Amor”. O tema principal da obra, o chamado “motivo da natureza”, vem dos cantos montanheses da Morávia, associando o reino do título às paisagens campestres de seu país natal. “No Reino da Natureza” é um exemplo do lirismo de Dvorák e de seu talento como melodista.

Alberto Nepomuceno foi um compositor cearense nascido em 1864. Tendo estudado na Europa, foi próximo de Edvard Grieg, tornando-se um precursor nos nacionalistas brasileiros. Com quatro movimentos, a obra “Série Brasileira” se divide em: “Alvorada na Serra”, que faz o uso do tema folclórico “Sapo Jururu” para descrição do amanhecer; “O Intermédio”, que tem parentesco com os ritmos do maxixe; “Sesta na Rede” é mais tranquilo e, provavelmente, inspirado na infância do compositor e, por fim, “Batuque”, finalizando a obra com ritmos e instrumentos de percussão inusuais para a música de concerto da época.

“Da Terra”, da compositora paraense Cibelle Donza, estreou em 2023, em Brasília. É uma obra que reflete sobre a relação do ser humano com a Terra, e sua passagem efêmera por este planeta. Buscando celebrar o milagre e a beleza da vida, Cibelle Donza afirma que a composição “tem uma visão mais leve, otimista e congregacional”. Certo sabor amazônico deve-se ao uso de instrumentos de percussão típicos como sementes de sapucaia, maracas, sons de pássaros e o banzeiro (combinação característica do Lundu).

Sobre o maestro

Sanny Souza é o atual maestro assistente da Oses. Em sua formação, destaca-se o mestrado em Educação Musical pela Campbellsville University, no Kentucky, Estados Unidos, e o bacharelado em Música pela Unirio. Além de sua atuação por 28 anos como violoncelista Oses, Sanny também é professor da Faculdade de Música do Espírito Santo (Fames), responsável pela direção musical do Coro Vox Victoria e maestro do Coro Sinfônico da Fames.

Em sua trajetória como maestro, já regeu o Coro da Petrobras UN/ES, Fames Jazz Sinfônica, Fames Jazz Band e Orquestra Vale Música. Já se apresentou na Europa e nos Estados Unidos.

Acesse a programação completa da Oses no site https://www.oses.art.br/programacao

Serviço:

Série “Quarta e Quinta Clássica”

Quando: 09/08 (quarta-feira) e 10/08 (quinta-feira)

Horário: às 20h

Local: Centro Cultural Sesc Glória, Avenida Jerônimo Monteiro, 428, Centro de Vitória

Ingressos: R$ 20 (inteira), R$ 15 (conveniado), R$ 12 (cartão empresário) e R$ 10 (meia-entrada para comerciário ou mediante apresentação de 1kg de alimento não perecível).

Maestro: Sanny Souza

Repertório:

“No Reino da Natureza”, de Antonín Dvorák

“Série Brasileira”, de Alberto Nepomuceno

“Da Terra”, de Cibelle Donza


Informações à Imprensa: Assessoria de Comunicação da Orquestra Sinfônica do Espírito Santo Erika Piskac (27) 99283-1081 / 27 99273-1875 e-mail: comunicacao.coes@gmail.com Instagram: @orquestrasinfonicaes

bottom of page