top of page
elemento.png

17/04, às 20h

Série Pré-Estreia

local.png

Sesc Glória

Avenida Jerônimo Monteiro, 428 - Centro, Vitória - ES, Brasil

ingressos.png

R$ 20 (inteira)
R$ 15 (conveniado)
R$ 12 (cartão-empresário)
R$ 10 (meia-entrada e comerciário)
R$ 10 + 1kg de alimento (meia solidária)"

abril_SériePréEstreia

Orquestra Sinfônica do Estado do Espírito Santo - Oses

Helder Trefzger, regente

Marcelo Rauta: Fragmentos Mahlerianos.

  • Allegretto

Gustav Mahler: Sinfonia n.° 1, “Titan”.

  • Langsam, Schleppend

  • Kräftig bewegt, doch nicht zu schnell

  • Feierlich und gemessen, ohne zu schleppen

  • Stürmisch bewegt

bg.png

Sobre a apresentação

Ao escrever Fragmentos Mahlerianos, o compositor capixaba Marcelo Rauta (1981) nos traz uma síntese da Sinfonia n.º 1, de Mahler, através de partículas dos quatro movimentos, recriadas por ele de maneira original, imprimindo o seu estilo. Um diálogo entre presente e passado. A música foi um veículo utilizado por Gustav Mahler (1860-1911) para resolver questões pessoais que o perseguiram ao longo da vida. Uma delas foi a obsessão para encontrar o sentido da existência, algo que ele sempre buscou: “Criar uma sinfonia é, para mim, criar (construir) um mundo”.


Gustav Mahler escreveu a sua primeira sinfonia entre 1885 e 1888. O título inicial era Titan, poema sinfônico em forma de sinfonia. Após algumas revisões, Mahler suprimiu esse título, que fazia referência a um romance de Johann Richter, que, segundo Novalis, “retrata a vida de um herói cuja única arma, é uma excepcional força de exaltação, imaginação e sonhos puros”. Mahler reconheceu como suas, as aspirações desse herói. Segundo ele, a narrativa da Sinfonia n.º 1 descreve “um homem forte e heroico, sua vida e sofrimentos, suas batalhas e derrotas nas mãos do Destino”. No final, o herói é exposto aos mais temíveis combates e a todas as tristezas do mundo. Após os percalços preparados pelo Destino, o herói triunfa sobre a morte – temas do primeiro movimento trazem as memórias gloriosas da juventude e um grande e majestoso coral proclama definitivamente o seu êxito.


Helder Trefzger atua há mais de trinta anos como maestro titular da Orquestra Sinfônica do Estado do Espírito Santo. Estudou na UFRJ, na UFMG e na UnB e teve aulas complementares com professores do Conservatório de Moscou, Manhattan School of Music e Arts Academy - Istituzione Sinfonica di Roma. É Mestre em Música (Regência – Práticas Interpretativas) e Bacharel em Música – Regência. Já dirigiu, como maestro convidado, algumas das principais orquestras brasileiras e várias orquestras do exterior, em países como Itália, Portugal, Polônia, México, Chile, etc.

bottom of page