top of page
elemento.png

29/09, às 20h

Série Sinfônica no Parque

local.png

Parque Botânico da Vale

Av. dos Expedicionários - Jardim Camburi, Vitória - ES, Brasil

ingressos.png

Entrada gratuita

Set_SinfonicaNoParque

Orquestra Sinfônica do Estado do Espírito Santo - Oses

Participação especial: Integrantes do Programa Vale Música

Helder Trefzger, regente

Solista: Deivid Peleje, tuba

Mel Bonis: Bourrée

Hugo Rocha: Concertino para tuba e orquestra

  • Vivace/Largo/Adagio/Maestoso/Vivace

Pyotr Ilyich Tchaikovsky: Marcha Eslava, Op. 31

  • Moderato, in modo di marcia funebre/Più mosso/Allegro

Samuel Coleridge-Taylor: Danse Nègre, da Suíte Africana, Op. 35, n.º 4

  • Allegro assai

Oscar Lorenzo Fernandez: Batuque, da Suíte Reisado do Pastoreio

  • Allegro pesante

bg.png

Sobre a apresentação

A compositora francesa Mélanie Bonis (1858-1937) foi aluna de importantes compositores, como Cesar Franck e Paul Taffanel e teve como colegas nomes como Debussy e Pierné. Entretanto, por ser mulher, ela enfrentou resistência na sua carreira como compositora. O preconceito era tanto que, mais tarde, ela adotou o pseudônimo de Mel Bounis, para evitar qualquer conotação feminina em seu nome. Sua música segue os preceitos do romantismo do século XIX e engloba mais de trezentas peças, tanto camerísticas quanto orquestrais. Na sua Boureé, Op. 62, escrita em 1904, em versão pianística e também orquestral, a compositora volta o seu olhar para o passado, mais especificamente para a dança do Século XVIII. A obra faz parte de um tríptico, ao lado da Pavane e da Sarabande.


Hugo Rocha (1997), jovem percussionista e compositor capixaba, tem se destacado no cenário musical, tendo suas composições apresentadas em importantes salas de concerto e festivais de música  no Brasil, como o Theatro São Pedro (SP), Sesc Glória (ES), Festival Gramado In Concert, Sala Leopoldo Miguez (RJ), dentre outros. Ex-percussionista da Orquestra Sinfônica do Estado do Espírito Santo, atualmente é percussionista da Banda Sinfônica do Corpo de Fuzileiros Navais. O Concertino para Tuba foi composto em 2019, inicialmente para banda de música e estreado em 2020 pela Banda Jovem Música na Rede, em Vitória. Desde então, a obra ganhou grande projeção, com versões escritas para Banda Sinfônica de Concerto e Orquestra Sinfônica. A obra é dedicada ao tubista Deivid Peleje.


O compositor russo Pyotr Ilyich Tchaikovsky (1840-1893) escreveu a sua Marcha Eslava no fim do verão de 1876, a pedido de Nikolay Rubinstein, para um um concerto beneficente em ajuda aos soldados russos, vítimas da Guerra entre a Turquia e a Sérvia. Composta em apenas cinco dias, a obra obteve sucesso imediato desde a sua estreia naquele mesmo ano.


Samuel Coleridge-Taylor (1875-1912), nascido em Londres, filho de mãe inglesa e pai de Serra Leoa, África, foi maestro e compositor, tendo popularidade notável em sua época. Grande parte da sua música traz características integradas às tradições africanas com a música clássica ocidental, como Bamboula, apresentada pela Oses nessa temporada e a Danse Nègre, da Suíte Africana. Originalmente, a Suíte Africana foi composta para piano. Ela possui quatro movimentos e cada um deles ilustra um aspecto diferente da vida na África. Danse Negre é uma abertura festiva que celebra o espírito africano e o amor nas várias culturas e países do continente.


O compositor Oscar Lorenzo Fernandez (1897-1948) foi um dos mais importantes compositores brasileiros de sua época. Ele deixou um legado que inclui ópera, balés, música sinfônica e camerística. A sua suíte O Reisado do Pastoreio, de 1930, alcançou repercussão internacional sendo que a sua última parte, Batuque, notável por sua força rítmica e colorido orquestral, figurou em concertos regidos por nomes como Toscanini e Bernstein.


Deivid Peleje é tubista da Orquestra Sinfônica do Estado do Espírito Santo desde 2016. Também foi tubista da Banda Sinfônica da Fames, onde também atuou como solista nos anos de 2018 e 2019. Já atuou como convidado Junta a Orquestra Sinfônica Brasileira - OSB, Orquestra Sinfônica de Campinas, Orquestra Sinfônica de São José dos Campos, foi Tubista da Orquestra Sinfônica Heliópolis por 8 anos, onde participou da primeira Tournée pela Europa, passando por Alemanha, Holanda e Inglaterra, foi Tubista da Banda Sinfônica Jovem de SP por 2 anos. Tocou junto da Orquestra Sinfônica de Munique, Orquestra da Academia da Filarmônica de Israel quando estiveram no Brasil. Estudou na Escola Municipal de música de São Paulo com Drauzio Chagas ( BOI) e Luiz Ricardo Serralheiro ( Popo), com Marcos dos Anjos Jr. Participou de Master Classes com James Goulay, David Kuts, Jesse Orth, Shemuel Adi Hersko.

bottom of page